Chip em animais

Compartilhe:

Você sabia que a popularização do chip nos animais tem cada vez mais aumentado? Essa identificação de radiofrequência tem sido comum em  ongs e programas de proteção aos animais.

Esse tal “chip’’, chama-se RFID. Ele é um método de identificação automática por radiofrequência. É formado por três elementos: uma etiqueta com um chip que contém informações sobre aquilo que se pretende identificar, um leitor, que é como uma máquina utilizada para identificar essa etiqueta e um software que mostra as informações contidas.

Os RFID não são mercadorias que podem receber alta tecnologia. Ele se torna popular cada vez mais em diversos países pela utilização sem em animais de estimação. O dispositivo tem o tamanho de um grão de arroz e pode semicroshipr
afixado na coleira ou aplicado por um veterinário sob a pele do animal.Mesmo não sendo tão comum aqui no Brasil, o chip já é adotado por várias ongs de proteção a animais. Ele pode conter vários tipos de informação como nome, nome do proprietário, endereço, telefone de contato e etc. Ele pode armazenar também informações até como tipo sanguíneo do bichinho, cronograma de vacinas, alergias e cirurgias. Isso ajuda o veterinário a algumas prevenções e saber sua próxima data de vacina. Além de tudo é muito útil quando o animal vai viajar com a família e acaba precisando de uma consulta enquanto está longe.

A identificação por radiofrequência tem cada vez ganhado mais forças e mostra-se bastante promissora . Com a tecnologia avançada, tudo é mais simplificado para nós e para nossos amigos!

Você pode ler também


Compartilhe: